Diferenças entre gateways de pagamento, adquirentes e subadquirentes

A internet revolucionou a forma como os negócios são realizados e isto já não é nenhuma novidade! Uma empresa que há pouco tempo atrás atendia apenas consumidores do seu bairro ou cidade hoje pode vender para qualquer pessoa em qualquer parte do Brasil ou mesmo do mundo. Fantástico, não é?

Mas assim como qualquer tipo de mudança, os desafios também surgem. Tente imaginar que muitos negócios online não possuem uma loja física ou, que muitas destas lojas ficam distantes de muitos clientes, o que impossibilita ou mesmo dificulta que o pagamento seja realizado pessoalmente, seja por crediário ou os famosos carnês.  

Neste novo cenário de transações financeiras surgem os pagamentos virtuais. E escolher a melhor forma de pagamento é uma das opções mais importantes de um negócio, afinal de contas, se o cliente não encontra aquele que cabe na sua realidade dificilmente ele vai fechar uma compra e, consequentemente, abandonará facilmente o ‘carrinho’.

Mas você sabe quais as melhores formas de pagamento que se encaixam ao perfil do seu negócio? Antes de tomar qualquer decisão é preciso dos Gateways de pagamento, Adquirentes e Subadquirente. E este é o propósito do nosso post de hoje, mostrar para você as diferenças de cada um. Preparado? Vamos lá?!

O que são Adquirentes?

Os adquirentes, também conhecidos como credenciadores, são as empresas como a Cielo e a Rede (antiga Redecard) que fazem a intermediação na transação entre a loja e a bandeira (Visa, Mastercad), credenciando estabelecimentos para a aceitação de cartões.

De maneira geral os adquirentes são as empresas que têm contato mais direto com as operadoras de cartões e os bancos, já que são responsáveis por processar os pagamentos das bandeiras e realizar a conexão entre a bandeira do cartão, verificar com o banco se o cartão do cliente tem limite disponível para realizar a compra e conectar a conta da loja para receber o pagamento.

Na prática funciona assim: o cliente fecha a compra, o lojista passa o cartão na ‘maquininha’. Neste momento a maquininha se comunica com o adquirente (cujas informações repassadas são integradas com a loja) que envia os dados para a bandeira. A bandeira envia as informações repassadas para o emissor do cartão (que na maioria das vezes é o banco), que é quem autoriza ou não a transação. Em questões de segundo, a decisão do banco volta para a bandeira, fazendo todo o percurso de volta até a loja.

Pontos positivos:

  • Menor custo por transação
  • Obrigatoriamente tem o certificado de PCI Compliant
  • Se tornam mais simples na aprovação dos pagamentos

Pontos negativos:

  • Integração online mais complexa
  • Não contam com serviços Gateway e sistema Antifraude integrado. Lojistas que contam apenas com adquirentes enviam ao banco as informações diretamente sem passar por um Gateway e por um programa de antifraude, deixando o checkout facilmente passível a fraudes e erros.

Entre os principais adquirentes: Cielo, Redecard, Getnet, Elavon.

Algumas bandeiras: Visa, Mastercard, American Express, Hipercard, Diner Club Internacional.

O que são Gateways de pagamento?

O objetivo principal de um Gateway de pagamento é facilitar o processo de transação entre a loja e a instituição que realiza o pagamento, na qual pode ser um banco ou uma operadora de cartão de crédito.

É o Gateway que faz a conexão com o adquirente e verifica se o cartão do cliente tem saldo suficiente para realizar a compra. Para um e-commerce, os Gateways são importantes instrumentos de análise de negociação para evitar a ocorrência de fraudes virtuais.

No processo de escolha de um Gateway é importante avaliar se ele oferece um caminho de compra confiável, PCI, pagamentos recorrentes, variedade e diversas alternativas de pagamento, compras por ativação e estorno, one-buy-click, pagamento através de boletos, cartões de crédito e débito. Aqui vale destacar que na Vindi todas estas e outras opções estão integradas ao gateway de pagamento oferecido.

Pontos positivos:

  • Simplificam a conexão entre adquirentes e bancos
  • Muitos Gateways já possuem uma integração com sistemas antifraudes
  • Em muitos casos, somando a taxa do gateway com a taxa do adquirente é possível ter taxas abaixo daquelas cobradas pelos subadquirentes, ou seja, como geralmente as taxas tem valor fixo acaba sendo mais vantajoso – ou invés de percentual sobre o valor;
  • Maior controle sobre as transações realizadas, principalmente em relação a uma maior segurança e privacidade em relação aos dados pessoais do cliente e;
  • A grande vantagem é que o cliente não precisa sair do site para realizar o cadastro em outro, no caso um intermediador, ele permanece na página e realiza tudo numa única tela, o  que não estimula o abandono de carrinho.

Pontos negativos:

  • Geralmente as integrações são mais complexas que de subadquirentes;
  • É preciso que a empresa tenha contratos com adquirentes e/ou bancos, de acordo com as bandeiras que queira aceitar
  • Como são PCI Compliance, o e-commerce não é obrigado a aceitar

O que são Subadquirentes?

De forma simples são plataformas que funcionam como intermediadoras de pagamento, ou seja, trazem o full checkout para o e-commerce. As subadquirentes funcionam como um pacote, em que possuem o credenciamento com os adquirentes, tem o Gateway e um sistema antifraude próprio e, ainda disponibilizam para o comerciante um modelo de cobrança com base em porcentagens de vendas.

As subadquirentes vão além de realizar uma transação financeira, elas oferecem uma solução completa desde a proteção dos dados até a cobrança de taxas, verificação da autenticidade e uma infinidade de recursos que tornam a compra online simples e segura.

Pontos positivos:

  • A integração online é mais simples;
  • Conta com um processo de filiação mais fácil quando comparado aos adquirentes;
  • Apresentam todos os tipos de soluções de pagamento online, desde cartão de débito e crédito, TEF e Boleto Bancário;
  • Possuem um sistema próprio de Antifraude;
  • Muitos subadquirentes oferecem ao lojista o pagamento da venda de uma só vez num tempo de até 15 dias, mesmo que a venda tenha sido parcelada. O que para o pequeno negócio, pode contar com um fluxo continuo de caixa;

Pontos negativos:

  • Apresentam taxas mais elevadas;
  • Apenas algumas empresas são PCI Compliant
  • Podem demorar mais no processo de aprovação do pagamento
  • A usabilidade acaba sendo prejudicada na maioria dos players.

Se depois da leitura deste post você ainda ficou com aquela ‘pulguinha’ atrás da orelha, confira nosso infográfico e tire de vez todas as suas dúvidas. Vejamos:

Imagem 1: Infográfico: https://vindi-blog.s3.amazonaws.com/wp-content/uploads/2013/12/infografico-gateway.png (Fonte: Vindi)

Gostou do nosso post? Ficou com alguma dúvida? Deixe nos campos abaixo seu comentário!

E não esqueça de compartilhar no seu facebook, Linkedln, Twitter e demais redes sociais!

O que é um subadquirente?

Você provavelmente já fez uma compra online, certo? Com a praticidade ofertada pela internet, é cada vez mais comum que as pessoas estejam trocando o shopping pelo e-commerce. Afinal, nada mais prático do que fazer as nossas compras pela web e poder receber suas encomendas no conforto do lar, não concorda? Mas, toda compra envolve diversos detalhes que muitas vezes os consumidores nem imaginam que existem. E um deles é o subadquirente, que nada mais é do que o intermediador de pagamentos, facilitando a transação. Não confunda subadquirente com um conta digital para empresas.

Split de Pagamentos

O marketplace, ou shopping center virtual, está cada vez mais presente na web. Afinal, com a correria da nossa rotina, contar com lojas online para adquirir o que precisa e em todos os setores de atuação é uma mão na roda. E nada melhor do que fazer todas as suas compras no conforto de sua casa, não acha? Mas, quando fazemos compra no shopping online, e decidimos colocar no carrinho produtos de vários vendedores, como ocorre a forma de pagamento para cada lojista? Saiba que isso é possível por causa do split de pagamentos. Vamos conferir mais informações sobre essa funcionalidade tão importante para o marketplace?

Qual melhor forma de pagamento para minha empresa?

Quando temos um e-commerce é muito comum ficar confuso quanto aos meios de pagamento. Afinal, são tantos, que precisamos levar em conta diversos fatores, como a forma mais prática para o empreendedor. E a escolha deve ser feita sempre com cautela, para não prejudicar em nenhum momento sua loja. Para não ficar mais em dúvida sobre qual a melhor forma de pagamento para sua empresa, confira a seguir os vários sistemas ofertados pelo mercado e escolha as formas de acordo com suas demandas para seu negócio. Com nosso guia vai ficar muito mais fácil escolher a forma de pagamento para sua empresa!

PayPal

Embora as compras online têm se popularizado entre os internautas, muitos consumidores ainda têm receio de comprar em lojas virtuais, por conta da segurança. O PayPal, produto de pagamento virtual, é o melhor jeito das empresas e pessoas movimentarem dinheiro em vendas e compras na web. O site é uma espécie de carteira digital que atualmente é usada por mais de 120 milhões de pessoas. O sistema foi lançado nos Estados Unidos e é o pioneiro para pagamentos online, sendo muito popular entre os consumidores.

PagSeguro

O PagSeguro é um sistema de pagamento que traz muitas vantagens ao dono do e-commerce. Como por exemplo, dispensar a necessidade do uso do celular para as transações e sem mensalidades ou taxas de adesão, tornando a contratação do produto ainda mais prática. É o jeito mais seguro e fácil de vender pela internet e o comerciante pode ofertar aos seus clientes mais de 25 formas de pagamentos com parcelamento em até 18 vezes. E desfrutar de amplas maneiras de pagar suas compras, é uma das maiores necessidades dos consumidores.

Cielo

A Cielo é um sistema de pagamento que aceita as principais bandeiras do mundo e do Brasil. O dono da loja online conta com suporte técnico 24 horas por dia, sete dias por semana. Você pode realizar suas vendas pelo celular, máquina ou pela internet. Mais uma forma de pagamento prática para o vendedor que quer descomplicar sua rotina.

Moip

O Moip aceita todas as formas de pagamento com somente um contrato e uma única integração, tornando a rotina do comerciante ainda mais prática. E o proprietário da loja online ainda aproveita de soluções inteligentes para alavancar sua conversão, como compra por um clique, recuperação de vendas e retentativas automáticas. Ter a sua disposição taxas de conversão é muito importante para não perder muitas vendas que podem afetar seu lucro mensal.

Mercado Pago

Outra ótima forma de pagamento para sua empresa. São 50 meios de pagamentos disponíveis para toda a América Latina. Com o Mercado Pago não importa se você tem um aplicativo para smartphone, um site ou vende através das redes sociais. O sistema da empresa se adapta ao dispositivo do cliente, e assim oferta uma forma mais simples de processar os pagamentos. O Mercado Pago monitora os pagamentos 24 horas por dia para que você não tenha nenhum tipo de preocupação com fraudes. E se um consumidor contestar um débito de pagamento em seu cartão de crédito, a companhia conta com um programa que cobre seu valor, para evitar ao máximo prejuízos para seu caixa.

 

Escolher a melhor forma de pagamento para sua empresa é muito importante para o sucesso de seu negócio. Portanto, reflita sobre qual o melhor produto para seu e-commerce e faça sua opção de sistema. E você, qual acha a melhor forma de pagamento para uma loja online?