Diferenças entre boleto sem registro e boleto registrado

A emissão de boletos é uma forma muito utilizada por empresas e profissionais autônomos para receber pagamentos de seus clientes por produtos vendidos ou serviços prestados. Isso acontece porque essa ferramenta facilita o sistema de cobranças, bastando que a empresa faça a emissão do boleto para que o cliente possa efetuar o pagamento em agências bancárias, lotéricas ou pela internet.

Mesmo trabalhando frequentemente com essa ferramenta, muitos empreendedores ainda não possuem conhecimento sobre a melhor forma de emitir seus boletos. As formas de emissão são duas: registradas e não registradas. Vamos ver quais sãos as diferenças entre elas!

Boleto sem registro

O boleto sem registro é a forma mais simples de receber pagamentos, bastando informar o valor da cobrança para que ele seja gerado. Por isso, é indicado nos casos em que o cliente pode acabar desistindo da compra sem entrar em contato com você.

Neste tipo de boleto, você faz a emissão sem que o banco tenha conhecimento da operação até o momento em que o pagamento é efetuado. Portanto, se você fizer a emissão de um boleto sem registro que nunca será pago, o banco nem ficará sabendo da operação. É por esse motivo que você só será cobrado pelo banco caso o pagamento seja efetivamente realizado.

Boleto com registro

Já o boleto com registro pode ser considerado um produto mais completo e com mais segurança em relação ao recebimento, pois neste caso a empresa enviará uma remessa ao banco para que sejam registradas todas as informações contidas no documento, tais como código do boleto, valor e data do vencimento.

Neste caso será cobrada uma taxa pela emissão do boleto, independentemente de pagamento pelo cliente. Também poderão ser cobradas tarifas pela alteração ou cancelamento do boleto. Ou seja, você pode acabar pagando mais de uma tarifa pelo mesmo boleto.

Um grande diferencial dessa modalidade de emissão é que, se não for efetuado o pagamento no prazo estabelecido pela empresa, o banco envia a cobrança para protesto automaticamente, ou seja, o nome do cliente pode ir para os órgãos de proteção ao crédito, como SPC e SERASA, e outras ações jurídicas podem ser tomadas se for necessário.

Qual é a melhor para mim?

A resposta para essa pergunta irá depender das necessidades de sua empresa. Para quem recebe o pagamento antes de realizar o serviço ou entregar o produto, o boleto sem registro pode ser uma opção mais vantajosa, afinal, você só irá ter gastos após o recebimento. Por outro lado, para quem opera de modo contrário – prestando o serviços ou entregando produtos antes de recebido o pagamento – o boleto com registro é uma opção mais segura, pois permite que sejam tomadas as ações necessárias para a cobrança.

Deve-se também considerar que, caso a empresa faça a emissão de pequenas quantidades de boletos e tenha capacidade de imprimir por conta própria, a opção mais simples e econômica será o boleto sem registro. Enquanto isso, empresas que operam com valores altos precisam de uma segurança maior e acabam optando, apesar do custo de emissão maior, pelo boleto com registro.

Sua empresa já trabalha com emissão de boletos? Você conhecia a diferença entre os boletos com e sem registro? Deixe suas experiências nos comentários!